Resenha: Caçadora de Estrelas - Raiza Varella



"Após flagrar o seu atual namorado com outro cara - não, você não leu errado - e constatar que o safado tinha um gosto para homens até melhor do que o seu, Eva se arrepende por ter abandonado a família, o gato, o emprego, os amigos e até e o país para segui-lo e decide que é hora de voltar para a casa, com o rabo entre as pernas, um mau humor feroz e sem um tostão no bolso. Mas ao contrário do que imaginou não é recebida com faixas e balões, muito menos com boas-vindas e sim com mais e mais azar - como se não bastasse todas as vezes em que foi traída, abandonada pelo circo ou roubada por alguma estrela errada -, seu irmão acabou com seu carro novo, seu pai se casou, ela ganhou duas quase irmãs indesejadas, seu melhor amigo roubou seu gato e ainda de quebra arrumou uma namorada. Embora a vida em casa não esteja como deixou, Eva é obrigada a seguir em frente e lidar com a situação como uma mulher adulta. O que em seu dicionário quer dizer se embebedar, distribuir socos e grosserias a quem quer que esteja ao seu alcance e recuperar seu gato - a qualquer custo -, nem que para isso precise roubá-lo de volta. O que desconhece é que o destino iria lhe preparar uma surpresa, lhe oferecendo algo que não poderia ter, um amor proibido. Será ela corajosa o suficiente para lidar com mais um coração partido, mesmo que seja pela estrela mais brilhante do céu?" Autora: Raiza Varella | ISBN: B01N06KASG | Ano: 2016 / Páginas: 383 | Idioma: português | Editora: Amazon | Encontre AQUI
Precisamos falar sobre Raiza Varella!

Há pouco mais de um ano, a minha irmã me emprestou um livro que não conhecia ainda, pois ela tinha amado. Eu não apenas li, como também devorei, e quando terminei, precisei falar sobre ele com alguém, e por causa de O Garoto dos Olhos Azuis, eu criei este blog. E quando terminei A Caçadora de Estrelas, depois de ver o dia nascer e não dormir, eu precisava falar sobre ele novamente. Desta vez não poderia esperar, e ele está aqui hoje, furando a programação, pois eu necessitava escrever ainda com as sensações e toda a emoção possível.

Eva é uma jovem com o verdadeiro dedo podre, e na sua última escolha, ela fora trocada por outro homem. Quando ela descobriu a traição ela fez a mesma coisa que fizera para ir para Londres. Aos 25 anos ela já fez todas as burradas que pudera fazer na vida, e a ida para Londres foi uma delas. Ela se apaixonou pelo noivo, e decidiu que iria com ele pra Londres, mesmo que todos fossem contra isto, seu pai, seu irmão, sua melhor amiga, e o melhor amigo. Mas ela não só foi, ela foi sem se despedir de ninguém. E agora, meses depois ela precisaria voltar e ouvir o "eu avisei" de todos eles. 

Dá para ver como ela era completamente atrapalhada, quando durante o voo há uma turbulência, e ela de maneira desesperada agarra na mão de um perfeito estranho, porém gato, e começa a confessar todas as coisas loucas da sua vida, inclusive a sua preguiça de tomar banho, e sobre a sua performance na cama. Ao chegar no Brasil, as coisas só começam a piorar. Ela descobre que seu pai se casou, sem ela saber nem que ele namorava, e para completar, era alérgica ao seu gato o Cupido. Por conta desta alergia, e por causa do abandono dela ao gatinho, seu amigo Gabriel levou o gato para ele. Quando vai buscar o gato, descobre que seu irmão mais novo, pegou ele emprestado, e não só isso, acabou dando PT no carro. Será que isto ainda poderia piorar? Com certeza pode! O Gabriel se recusa a devolver o gato, e ela decide roubá-lo. Mas o gato também a rejeita.

Quando eu comecei a ler tudo isto, como não tinha lido nenhuma resenha anteriormente, eu achei que seria um chick lit, e que continuaria rindo das trapalhadas sem fim da Eva, e de todas as consequências que o seu erro precipitado traria. Logo no começo, quando ela cita o Gabriel, e todas as belas coisas que ele fez por ela, eu já imaginava que eles acabariam se relacionando. Mas quando ela começa a se dar conta de que o que sente por ele é algo mais sério, ele já estava com outra, que por acaso era uma das filhas da sua nova madrasta. A Alice é aquele tipo de personagem que você sabe que vai fazer de tudo para ferrar a protagonista, e ela faz questão de exibir isso, exceto para o Gabs.

Todos percebem que o Gabriel é apaixonado pela Eva, e só ela não vê isso. Quando ela decidiu ir embora mesmo que ele tivesse dito que se fosse, ele não estaria mais ali para juntar os cacos, ele decidiu viver por si. Mas sabia que quando ela voltasse ele estaria ali, pois ele sempre estaria ali para ela. Mas ainda assim ele estava apaixonado pela Alice, e merecia tentar ser feliz. Mas isto acontece quando ela começa a o olhar com outros olhos, e confunde-o muito. E é quando ele decide lutar por ela. 

A Eva, depois de alguns desentendimentos com o pai e a madrasta, acaba aceitando um emprego como psicóloga na escola que a madrasta trabalha. E é justamente o paciente dela de apenas 12 anos que a incentiva a confessar o seu amor pelo Gabriel. Mas ela não consegue falar, pois sua nova "irmã" está grávida. Quando finalmente eles finalmente conseguem ficarem juntos, o tempo se tornará o maior inimigo deles.

Gente, sério, QUE BAITA DE UM LIVRO! Eu comecei achando que iria dar altas crises de riso, e realmente dei. Não sei se a autora teve a real intenção de que o livro parecesse um chick lit no começo, mas eu achei que seria um. E já imaginava aquele desfecho incrível. Já estava tudo construído na minha mente criativa. Porém, a Raiza me fez perceber que eu não sei o sentido de algo incrível. A construção da Eva foi algo muito bem realizada. A protagonista tem um pouco de tudo que existe dentro da gente. Quem não agiu por impulso e fez besteira? Quem nunca foi egoísta? Quem nunca mergulhou em um amor? No começo a gente acha que ela é completamente imatura e egoísta, mas é um grande engano. Durante a narrativa, e de acordo com os acontecimentos, nós percebemos o crescimento dela, a maturidade que ela adquire. E o que falar do Gabs? Gente, que homem maravilhoso. As coisas que ele fazia por ela, o apoio incondicional as loucuras, e a cumplicidade que ele permite que ela tenha é algo lindo demais. Além de ser um amigo maravilhoso, e um namorado sem igual, ele foi completamente altruísta ao pensar na felicidade da Eva. Não tinha como não ser um sucesso.

Quando eu pensava em um drama, vinha na minha cabeça sofredora o Sparks, a Jojo, o John Green, porém meus caros leitores, o nome mudou, é do Brasil. Raiza Varella construiu um drama avassalador, literalmente de tirar o sono. De me fazer soluçar de chorar (chorei apenas com Extraordinário, Por Lugares Incríveis e Aonde Quer que eu vá, confiem no meu choro), e de rir, de ter sentimentos ambíguos, raiva do Gabs, raiva da Eva, amor pelos dois, amor por esta história linda. Raiza escreveu sobre amizade, sobre perdão, sobre amadurecimento, mas sobretudo sobre AMOR. Que belo amor! 

Se as editoras forem inteligentes, vão querer esta mulher pra vida! É muito potencial, e só não enxerga isso quem não quer! Quem ainda não a conhece, se dê esta oportunidade, pois assim como em mim, algo diferente irá nascer em você!

2 comentários:

  1. Oi, Pri!
    Menina ultimamente tenho lido é coisa sobre esse livro, viu! E coisas ótimas. Me deixou total com vontade de ler. Sua resenha ficou show, Pri, e essa capa está apaixonante demais.

    Bjão.
    Diego, Blog Vida & Letras
    www.blogvidaeletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Di, pelo seu gosto, tenho certeza que você vai curtir! Obrigada <3

      Excluir

Curta-nos no Facebook

Estou lendo